janeiro 21 2013

Regina Di Ciommo

Liquidações – Aproveite, mas atenção para o consumo inteligente!

O início do ano, em todo país, nós já sabemos o que acontece. Temos mais contas para pagar, mas ao mesmo tempo é a época das liquidações e promoções tentadoras.

Aproveitar as liquidações de forma inteligente faz parte da educação financeira

De janeiro a março as despesas com tributos e taxas são altas. Vencem as parcelas do IPVA, para todos os que têm carro. Para quem tem casa própria também chega a conta do IPTU, que pode ser pago à vista, com desconto, ou parcelado durante o ano. Quem tem crianças deve encarar mensalidades, além do material escolar, que precisa ser adquirido em janeiro.

É justamente nesse período que aparecem as grandes ofertas no comércio, tanto em eletrodomésticos, como roupas, sapatos e móveis. Os estoques que não foram vendidos no Natal precisam dar lugar a novas coleções e novos mostruários. As empresas precisam de capital de giro e querem vender rápido o que sobrou. Por esse motivo, essa também é uma época em que as compras podem trazer economia, se forem planejadas para se conseguir aquilo que é necessário e que sairá mais caro se for comprado em outra época.

Os shoppings, nesta época de férias, passam a ser um local de atividades de famílias com crianças. Passaram a ter um bom número de frequentadores no mês de janeiro e se organizam para oferecer eventos para atrair os consumidores. O período que antes era conhecido como fraco em vendas passou a ser uma excelente oportunidade para as lojas. Além disso, quem procura trocar os presentes de Natal sempre acaba realizando uma nova compra.

Para tirar proveito das ofertas e liquidações é preciso, no entanto, tomar alguns cuidados. Apesar de muitas situações tentadoras, as compras por impulso precisam ser evitadas. O orçamento doméstico provavelmente já está comprometido com os gastos feitos no Natal.

Segundo a Serasa Experian, o Natal foi muito bom para as vendas a varejo e muita gente comprou a crédito e parcelado no cartão de crédito. Isso significa que, até o meio do ano de 2013, os consumidores vão estar endividados. Mais compras podem trazer um descontrole dos gastos. Antes de se deixar levar pela oferta, você precisa fazer suas contas, anotar as dívidas que já possui e não entrar em parcelamentos longos, que trazem o risco de comprometer as compras necessárias no futuro. Afinal, ainda há datas importantes em que costumamos presentear no primeiro semestre, como o Dia das Mães, a Páscoa e o Dia dos Namorados. Se ainda estivermos com as dívidas do Natal, ficaremos com o orçamento limitados durante muito tempo.

Se você decidir aproveitar as liquidações, verifique as ofertas em mais de uma loja, através da publicidade e se informe antecipadamente sobre o que deseja. O que foi anunciado deve ser cumprido pelo comerciante, de acordo com as regras do Código de Defesa do Consumidor, que determina que o vendedor deva cumprir toda oferta de produtos que divulgar.

É importante verificar o produto, seu funcionamento e conferir com calma os dados da embalagem. Os eletrodomésticos devem ser acompanhados de manual de instruções em português. Qualquer produto durável como aparelhos de som, televisores, roupas e móveis, devem ter garantia de pelo menos 3 meses. Se o preço estiver baixo por cause de pequenos defeitos ou partes amassadas, a loja deve explicitar o defeito na nota fiscal e a garantia para outras irregularidades continua valendo.

Muitos produtos de mostruário e outros que estão nas liquidações não são entregues pela loja na residência do comprador. Informe-se antes e se você estiver disposto a comprar mesmo assim, vai precisar providenciar o transporte.

Sempre a melhor opção é o pagamento à vista. Se for possível conseguir o preço da liquidação a prazo, sem juros, essa será uma boa opção. Se forem utilizados cheques pré-datados, eles devem ser nominais para a loja e as datas de vencimento dos cheques devem ser anotadas na Nota Fiscal.

Sobre o autor: Regina Di Ciommo

Mestrado e Doutorado em Sociologia pela UNESP – Universidade Estadual Paulista, pós-doutorado em Recursos Naturais com especialização em Ecologia Humana. Pesquisadora da Universidade Estadual da Bahia, em Ilhéus, é professora de cursos de pós-graduação. Autora e coordenadora de projetos de desenvolvimento local e sustentabilidade, nos estados de São Paulo e Bahia.

Compartilhe este artigo:  


Discussão

Sem comentários. Seja o primeiro a responder!

Postar um comentário