O consumidor deve receber ajuda para controlar as dívidas

Atualizado em 14/08/2017
Publicado em 26/10/2015
Autor: Jeniffer Elaina da Silva

O consumidor deve receber ajuda para controlar as dívidasEstá cada vez mais comum as famílias ficarem endividadas e isso não se dá apenas ao fato da diminuição da renda, devido ao crescente desemprego. Isso muitas vezes é resultado da facilidade de acesso ao crédito sem que as informações sejam passadas de maneira clara ao consumidor.

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), o mês de setembro de 2015 registrou o maior índice de endividamento das famílias nesse ano. Cerca de 6 a cada 10 famílias estão com dívidas, sendo que o cartão de crédito representa 77% delas, seguidos pelos boletos e dívidas com o carro.

Para tentar melhorar esses números, o Senado aprovou em primeiro turno o PLS 283/2012, que trata de normas sobre crédito ao consumidor e sobre a prevenção ao superendividamento. Ela propõe mudanças no Código de Defesa do Consumidor (CDC) que foi criado em 1990 e que precisa passar por mudanças.

O que está previsto para mudar

Segundo o projeto em tramite algumas novas regras devem fazer com que o consumidor tenha mais acesso a informação e fique protegido do assédio das empresas. Dentre as mudanças estão:

  • Limite de 30% do comprometimento da renda para pagamento de dívidas não profissionais excluído débitos com a casa própria.
  • Mudanças em relação a publicidade da oferta de crédito que visa impedir expressões falsas e que causem confusão no consumidor.
  • Criar uma consciência financeira no consumidor por meio de diversas ações.
  • Os contratos de empréstimos deverão conter as informações de forma clara e de uma maneira que o consumir seja capaz de entender. E na hora de fazer a oferta cabe ao fornecedor orientar sobre os riscos e as consequências da inadimplência.
  • O fornecedor passa a ser obrigado a verificar as condições de pagamento do empréstimo, inclusive com consultas nos órgãos de proteção ao crédito.
  • Deve ser criado um processo de repactuação da dívida para que assim fique mais fácil a conciliação entre credor e devedor.

Como o consumidor pode sair das dívidas

Para que se consiga quitar as dívidas é preciso repensar no estilo de vida, ou seja, é preciso gastar menos do que se ganha e isso pode ser conseguido revendo os gastos. Pode ser necessário também obter mais uma fonte de renda para que isso possa ser viável.

É indicado também renegociar com os credores e conseguir condições que sejam viáveis de se pagar. E no caso de dívidas com juros muito altos a orientação é substituí-las por dívidas mais baratas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Prestamos um serviço completamente gratuito para você
NUNCA faça qualquer tipo de depósito para conseguir seu empréstimo. Ficou com dúvida?
Leia nossos artigos para fazer um empréstimo seguro!