fevereiro 6 2012

Regina Di Ciommo

Empréstimo para Empresas – se você é micro ou pequeno empresário do setor formal ou informal, informe-se e dê um impulso ao seu negócio!

Preencha o formulário abaixo! Nossa equipe vai pesquisar para você as melhores opções de empréstimo do mercado, através de bancos e empresas financeiras parceiras!

Serviço Inteiramente Grátis!

R$
Para o empresário, procurar financiamento para a operação de sua empresa pode significar um impulso para a ampliação de seu negócio ou a manutenção do fluxo de caixa necessário numa emergência ou mesmo para pagar seus fornecedores.

O empréstimo para empresas pode ter destinações diversas e as taxas de juros são bastante diferenciadas. Essas taxas podem ser pré-fixadas com prestações mensais de acordo com a Tabela Price. Na Caixa, o empréstimo a empresas pode ser conseguido com pagamento a ser parcelado com prazo de 03 a 24 meses, com um limite mínimo de R$3.000,00.

Uma das principais dificuldades encontradas pelas micro e pequenas empresas (MPEs) no Brasil é conseguir crédito para os investimentos de sua expansão e também para sua manutenção. O SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), realizada em 2006, mostrou que as MPEs procuram empréstimos bancários em 36% dos casos, durante pelo menos 5 anos.

Emprestimo para empresasDentre as MPEs que pediram crédito aos bancos em 2005, 27% não conseguiram. Quais seriam então os principais problemas que impedem a concessão de crédito às Micro e Pequenas Empresas? Na realidade esses problemas são causados por registro em algum dos órgãos de proteção ao crédito (20%), ou a projetos de viabilidade comprometida (20%). Além disso, outras razões (35%) estão no fato da empresa ser muito nova ou com faturamento incipiente, motivos que o banco considera de risco para o empréstimo a empresas.

Nesse caso, as MPEs vão buscar outras fontes informais de crédito, como o pagamento a prazo aos seus fornecedores, o cheque pré-datado, o pagamento com cartão de crédito, ou mesmo o recurso de pedir a agiotas, pagando juros altos. Até mesmo o empréstimo de amigos e parentes costuma ser utilizado.

O empresário precisa fazer um plano para o destino dos recursos do crédito. É preciso saber se esses recursos serão para o capital de giro ou o capital de risco. É possível conseguir ajuda dos bancos públicos e é preciso estar informado sobre os procedimentos burocráticos que envolvem a concessão do empréstimo a empresas.

Se o microempresário quer evitar burocracias, o caminho é buscar o microcrédito, para conseguir financiamento.  Essa é uma boa opção para as pequenas e microempresas que ainda são informais. Esse tipo de empréstimo para empresas é concedido por órgãos públicos, associações sem fins lucrativos e até organizações não governamentais. O microcrédito trabalha com valores que variam de R$200 a R$ 10.000. Os juros dessa modalidade são limitados, geralmente, a 12% ao ano, uma taxa menor do que aquela cobrada por outros tipos de financiamento. Outras taxas podem estar embutidas no negócio e o empresário deve estar atento a isso.

As exigências para o microcrédito variam de acordo com a agência financiadora. Entretanto a exigência fundamental é a de que o empresário não tenha registro aberto em órgãos de proteção ao crédito como o SPC e Serasa. Além disso, é necessária a residência na cidade onde será concedido o crédito. É possível que também um fiador tenha que participar da operação, como garantia.

Os bancos públicos e privados tem linhas de financiamento para micro e pequenas empresas. O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem diretrizes para regular o crédito às empresas, que são classificadas de acordo com sua receita bruta anual. De acordo com as normas do BNDES as microempresas são aquelas com receita bruta anual até R$ 1,2 milhão; as pequenas empresas são as que tem renda bruta anual superior a R$ 1,2 milhão mas inferior ou igual a R$ 10, 5 milhões.

 

 

Sobre o autor: Regina Di Ciommo

Mestrado e Doutorado em Sociologia pela UNESP – Universidade Estadual Paulista, pós-doutorado em Recursos Naturais com especialização em Ecologia Humana. Pesquisadora da Universidade Estadual da Bahia, em Ilhéus, é professora de cursos de pós-graduação. Autora e coordenadora de projetos de desenvolvimento local e sustentabilidade, nos estados de São Paulo e Bahia.

Compartilhe este artigo:  


Discussão

Fco Osanan Veras Sampaio outubro 15, 2012 at 3:03 pm

Olá!

Tenho uma empresa há mais de vinte anos e empregava em média 60 pessoas e mais de 150 indiretamente. No ano de 2011 tive muitos problemas financeiros (inadimplência, cheque devolvido) e no ano de 2012 não foi diferente. Estou tendo dificuldade para manter a empresa e gostaria de saber o que o SEBRAE pode fazer para me ajudar.

Obrigado!

José Fernando De Araujo Pinho novembro 13, 2012 at 10:55 pm

Gostaria que existisse uma linha de crédito para as empresas com alguma
inadimplência, pois querem acerta suas dividas. Mas aí que seria a hora
dos bancos ajudarem a se restabelecerem, mas é neste momento o que os bancos
fazem fecham as portas.

rogerio dezembro 6, 2012 at 10:11 pm

Boa tarde,
Tenho uma empresa há 9 meses e não consigo capital de giro. Possuo conta jurídica e para os bancos, nada importa, pois na verdade, eles só dão crédito para empresa que tem dinheiro. Podem me ajudar?
Obrigado.

jose edney alves queiroz janeiro 27, 2013 at 2:47 pm

Preciso fazer um empréstimo para ampliar meus negócios. Poderiam me ajudar?

Eliane Paixão Vilas Boas fevereiro 25, 2013 at 12:39 pm

Preciso de um crédito para abrir minha empresa, mas não estou conseguindo porque os bancos só dão crédito para empresas com um certo tempo de existência. Fui até mal atendida em um banco, pois o atendente nem fez questão de falar direito comigo no momento em que mencionei que estava abrindo a empresa. Você teria uma solução para o meu caso?

Maria Eunice Vieira Komniski abril 7, 2013 at 11:56 pm

Boa tarde,
Tenho uma Empresa na área da Educação: um Colégio. Nos meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro, tivemos muita inadimplência, o que acarretou em grande dificuldade de fluxo de caixa. Devido a essas dificuldades financeiras, deixei de pagar 2 parcelas em um banco, o que resultou na restrição do meu nome. Concordo com José Fernando: os bancos não cooperam com nenhum Empresário, pois quando há dificuldades financeiras, eles fecham todas as portas.
Obrigada pela atenção.

carlos gilberto e santo junho 11, 2013 at 10:36 pm

Tenho uma construtora e estou construindo 112 apartamentos. Preciso de R$ 11000000,00 para fazer esta obra que é do programa “Minha casa, minha vida”. O valor de venda é de R$ 181.500,00 e o VGV é de 20328000,00. É possível pelo BNDS?

PAULO ROBERTO SILVA MATIAS junho 19, 2013 at 7:26 pm

Boa tarde,
Preciso abrir meu pequeno negócio e preciso de uma quantidade de dez mil reais, já tenho o ponto e preciso desta quantidade para começar, preciso de sua colaboração me ajuda liberando essa quantidade.
Agradeço a atenção.

kaio julho 24, 2013 at 1:47 am

Um bom dia,

Tenho uma empresa de distribuição de bebidas e mercearia e preciso de um capital de giro para minha empresa, em que banco vocês me recomendam e o que é preciso fazer?
Aguardo resposta.

sheyla cardoso sodre setembro 26, 2013 at 8:05 pm

Olá,
Eu tenho uma empresa há quatro anos e nesse tempo todo de firma aberta nunca tive um ano de tantas dificuldades financeiras, estou com alguns boletos em atraso e as minhas vendas estão inferior ao ano passado por isso preciso inovar e incluir mas alguns itens novos no meu mix e também melhorar aparência da minha loja para que assim eu possa atrair novos clientes.

Preciso dessa ajuda para que possa continuar com a minha empresa dando lucro.

obrigado

Postar um comentário