Refinanciamento imobiliário – para reorganizar a vida financeira ou comprar outro imóvel

Atualizado em 13/10/2014
Publicado em 28/11/2012
Autor: Regina Di Ciommo

O refinanciamento imobiliário está se tornando atrativo para os consumidores e está sendo oferecido pelas lojas de intermediação de crédito, com juros compensadores.

Esse é o mais novo segmento do setor financeiro e está em franco crescimento.

As franquias e redes de intermediação de crédito estão apostando no refinanciamento imobiliário, que passou a ser um serviço financeiro muito vantajoso para pessoas físicas. O refinanciamento de imóveis tem uma taxa de juros menor do que a cobrada pelos cartões de crédito e o cheque especial. Por esse motivo vem sendo procurado pelos brasileiros com o objetivo de quitar suas dívidas. Até mesmo empresários de pequeno porte estão lançando mão do refinanciamento imobiliário para aumentar o capital de giro de suas pequenas empresas.

Se o empréstimo pessoal dos bancos costuma cobrar uma taxa média de 3% até 6% de juros ao mês, o refinanciamento de imóvel cobra entre 11% a 12% ao ano, ou seja, 1% ao mês, o que é francamente mais vantajoso.[leadform]

Se você possui uma renda mensal de R$3 mil, com uma casa própria no valor de R$100 mil, e precisa pagar uma dívida de R$25 mil, poderá pagar R$430 por mês, em um prazo de 20 anos. O dinheiro também pode ser utilizado para a compra de um bem durável, como um automóvel, por exemplo.

A aprovação da operação para pessoas físicas é rápida e sem muita burocracia. A liberação do dinheiro costuma ocorrer entre 30 a 40 dias. É um serviço que está sendo descoberto pelos brasileiros, mas que já existe e é muito conhecido nos Estados Unidos, onde é chamado de “mortgage”, ou hipoteca e na Inglaterra, onde é conhecido como “home equity”.

Além do refinanciamento imobiliário que pode ser feito com os bancos, existe o repasse, que é o serviço de refinanciamento de imóveis comprados na planta. Nesse caso, ao final da construção, o cliente procura uma financeira para calcular qual o valor já pago e pedir um refinanciamento relativo a esse valor.

Todo mercado imobiliário no Brasil está aquecido como resultado dos preparativos para a Copa do Mundo 2014 e Olimpíadas 2016. Além disso, a situação relativamente estável da economia brasileira vem impulsionando o surgimento de novas alternativas às linhas de crédito tradicionais. Nesse movimento o refinanciamento imobiliário só tende a crescer a cada ano.

Atualmente ele é oferecido por dois bancos privados, o HSBC e o Santander, além de financeiras independentes. Como o imóvel é quitado e dado como garantia, as taxas de inadimplência nessa forma de crédito são muito baixas e atraem cada vez mais a atenção de outros bancos.

No Brasil, os refinanciamentos são feitos na proporção de 50% do valor de um imóvel já quitado e até um limite de R$500 mil. O prazo para pagamento é de até 30 anos e o dinheiro pode ser utilizado pelo cliente para qualquer finalidade que deseje. Essa é uma maneira de conseguir um capital que possibilite a organização do orçamento doméstico, a quitação de dívidas ou a compra de um segundo imóvel, com valor mais baixo. Esse é um produto indicado para quem quer recuperar suas finanças, com as taxas de juros mais baixas do que a de outros financiamentos. A liberação rápida do dinheiro, na metade do tempo do financiamento imobiliário tradicional, favorece o cliente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Prestamos um serviço completamente gratuito para você
NUNCA faça qualquer tipo de depósito para conseguir seu empréstimo. Ficou com dúvida?
Leia nossos artigos para fazer um empréstimo seguro!